4.12.09

































'Não há coincidências, não há mesmo! Nem existe aquela frase 'não, não pode ser', porque 'é sempre'. E depois, quando as peças do puzzle se encaixam, faz tudo sentido: o silêncio, o adeus, as faltas, os mergulhos no escuro, os 'não posso' e as infinitas desculpas inacreditáveis. Não estou magoada pelas coisas terem acontecido desta forma, porque este ano aprendi que a vida não faria sentido se fosse justa. Estou magoada por ter tropeçado novamente, pela segunda vez... Por continuar a ser a mesma distraída de sempre e por dar repetidamente só mais uma oportunidade. É óbvio que as pessoas não mudam de um dia para o outro! É claro que há sempre uma consequência que faz com que isso aconteça... Só eu não percebi, ou melhor, só eu não aceitei. Estou imóvel, com a garganta seca e o peito pesado.'


'Há sempre um dia em que a alma nos rebenta nas mãos. hoje foi só mais um.'

1 comentário:

Maçã e Canela disse...

Eu ainda estou apanhar os pedaços da minha alma..estou solidária ctg